HOMEM-ARANHA | SEM VOLTA PRA CASA | SEM SPOILERS

Esse é o review sem spoilers, de Homem-Aranha No Way Home.
Pode ficar tranquilo, porque, como a gente sempre faz aqui nos reviews sem spoilers,
eu vou me concentrar apenas nas minhas impressões sobre o filme, sem falar de nenhuma cena em 

especial.

Aliás, esse review vai ser um pouco mais breve que os outros que eu costumo fazer justamente
porque esse terceiro filme do Homem-Aranha é tão cheio de surpresas, e elas começam
tão cedo na narrativa, que é difícil falar um pouco mais profundamente sobre a história.
Se eu tivesse que resumir esse filme em uma palavra, eu diria que ele é:

Encantador.

Sem brincadeira, cara, eu estava particularmente preocupado com todo o hype que foi criado
pra essa terceira aventura do Cabeça de Teia, em primeiro lugar porque eu achei os dois
primeiros filmes dessa nova trilogia bem legais, mas não espetaculares.
E se esse filme seguisse na mesma média, eu acredito que muita gente ia sair do cinema
decepcionada.
E em segundo lugar porque a Sony e a Marvel prometeram uma espécie de celebração de
tudo o que foi feito no cinema com o Homem-Aranha desde que o primeiro filme, de 2002, do Tobey
Maguire foi lançado.
Nós vimos isso nos trailers, com as promessas da volta do Doutor Octopus, do Duende Verde,
do Electro, e tudo mais.
E quando você promete uma coisa assim, colocando na mistura tantos elementos importantes e
valiosos, preciosos pra audiência, você precisa ter certeza de que todos esses elementos
vão ser tratados com a devida reverência, com o devido respeito.
E, obviamente, a probabilidade de meter os pés pelas mãos, atropelando coisas importantes
começa a ficar cada vez maior.
Aliás, foi justamente essa mistura de esperança de que algo épico e sem precedentes pudesse
acontecer, junto com o medo de os caras estragarem tudo que acabou deixando os fãs enlouquecidos
e aumentando tanto o hype pra esse filme.
Mas, velho, se tem uma coisa que eu posso afirmar pra você com a mais absoluta tranquilidade
é que Homem-Aranha No Way Home é, disparado, o melhor filme dessa trilogia do Homem-Aranha
no universo compartilhado da Marvel no cinema.
E eu vou me arriscar a dizer aqui também, que esse é um dos melhores filmes de todo
o MCU.
O Tom Holland, tinha prometido em várias entrevistas que esse ia ser o filme mais sombrio
de toda a trilogia, e ele não estava mentindo, o filme é absurdamente mais sombrio do que
os dois filmes anteriores.
Isso é uma excelente notícia, porque é uma coisa que todos os fãs do Homem-Aranha
estavam sentindo falta nessa nova encarnação do personagem na Marvel.
Porque uma das características mais importantes do Homem-Aranha é justamente o fato de que
ele mantém uma atitude esperançosa e baseada na retidão de caráter até mesmo diante
dos momentos mais sombrios, das maiores tragédias.
É nesses momentos que ele realmente se destaca e ganha o coração das pessoas.
Mas, nos filmes do personagem na Marvel até agora essa atmosfera sombria de desesperança
e de tragédia nunca chegou a ser realmente colocada.
Esse tipo de escuridão nunca foi colocada no caminho dessa versão do Peter Parker,
você me entende?
Essa versão do Homem-Aranha nunca encarou o abismo para o abismo encarar ele de volta,
ele nunca esteve à beira da perdição.
Pois é, até agora.
Além disso, muitos fãs dos outros filmes, das animações e dos quadrinhos têm estranhado
bastante essa excessiva dependência que essa versão do Peter Parker tem de outros personagens
para seguir as histórias dele.
Nos dois filmes anteriores, nós vimos o Homem-Aranha dependendo demais da orientação e até mesmo
dos recursos do Homem de Ferro, que deu para ele um traje cheio de apetrechos super tecnológicos,
e o Homem de Ferro acabou se tornando uma espécie de muleta para que o Homem-Aranha
conseguisse superar os obstáculos que se colocavam pra ele.
Só que nos filmes do Tobey Maguire e do Andrew Garfield, nas animações e nos quadrinhos,
isso nunca aconteceu.
Era sempre o Peter Parker sozinho, usando a perspicácia dele e os recursos dele para
conseguir superar todas as adversidades.
E agora, nesse terceiro filme, parece que os caras finalmente estão fazendo essa correção
de curso, trazendo o Cabeça de Teia para o que ele realmente é nos quadrinhos, alguém
que trabalha sozinho, sem mentores pra indicar atalhos.
Uma das minhas preocupações vendo os trailers era o fato de que agora que o Tony Stark está
morto, o Doutor Estranho pudesse assumir esse papel de mentor e servir, ele, de muleta para
o Peter.
Felizmente, a participação do Doutor Estranho, embora importante e apropriada, não faz sombra
ao papel do Peter Parker.
Outra coisa interessante de dizer é que eu fiz várias teorias no meu canal sobre esse
filme, analisando os trailers e tudo mais.
Porém, as explicações que os caras deram para todas as coisas que nós vimos nesses
trailers me pareceram muito mais elegantes, simples e efetivas, sem serem mirabolantes.
Esse é um ponto extremamente positivo desse filme.
Até pelo fato de ele ter muitas coisas com as quais ele precisa jogar.
Então, é uma excelente notícia que ele consiga trabalhar com todos os elementos importantíssimos
que envolvem o final dessa trilogia do Homem-Aranha, atribuindo a devida importância que todos
eles têm, sem se perder no roteiro, sem deixar a narrativa arrastada ou confusa.
E mais, todos os elementos que são colocados nesse filme afetam de diferentes e profundas
formas o Peter Parker.
Uma das características mais importantes de toda a jornada do herói é que o protagonista
precisa, necessariamente, sair da história transformado, diferente de quem ele era quando a aventura começou.
E é justamente isso que acontece nesse filme, ele não é só um desfile oportunista de
vilões de outras versões do Homem-Aranha, que não vão ter propósito nenhum no fim
das contas.
 

É curioso, porque quanto mais eu penso sobre esse filme, mais eu vejo ele como uma história

de origem.
Mesmo que o Tio Ben já tenha morrido antes do primeiro filme dessa trilogia, mesmo que
o Homem-Aranha já tenha enfrentado vários inimigos, participado da Guerra Civil, ido
ao espaço lutar em Titã e sofrido a perda do Tony Stark.
É só a partir desse filme que o Homem-Aranha dá aquele passo definitivo em direção à
maturidade, que ele realmente entende o que é ser um super-herói.
Como isso envolve sacrifício e abnegação.
No Way Home é pesadamente centrado no desenvolvimento e no amadurecimento do personagem Peter Parker,
e provavelmente é por isso que ele é tão bom.
Sobre as atuações, esse também é de longe o melhor trabalho do Tom Holland como Peter
Parker.
Me parece que ele teve muito mais elementos com o que trabalhar nesse terceiro filme.
Então nós podemos ver alguns momentos bem dramáticos em que o ator consegue entregar.
A carga emocional que o momento exige, e consegue, inclusive, nos colocar no lugar dele, sentindo
exatamente o que ele está sentindo.
Alfred Molina nasceu pra ser o Otto Octavius e é fantástico toda vez que ele está em
cena.
Mas, a participação do Willem DaFoe está além de qualquer escala.
O cara é o estado da arte.
Toda vez que ele tá em cena, a cena se torna uma cena dele.
Willem DaFoe interpretando Norman Osborn tem um tipo de magnetismo que parece que vai extrapolar
os limites da tela.
Esse filme tem duas cenas pós-créditos.
A primeira cena pós-créditos é extremamente contrastante em relação ao resto do filme,
e eu preciso dizer pra você que foi a única coisa que eu não curti em todo o filme.
Pra dizer bem a verdade, eu me senti até um pouco frustrado com ela.
Eu tive a sorte de poder assistir esse filme com o mestre Érico Borgo, e ele também achou
isso.
Que essa primeira cena pós-créditos é, digamos assim, “preguiçosa”.
É uma solução um pouco preguiçosa, muito fácil para um grande questionamento do público
em relação a esse filme e a todo o futuro do MCU.
Quer dizer, os caras fizeram um filme irretocável, cheio de ação e momentos super bacanas com
duas horas e 40 minutos, e essa primeira cena pós-créditos não condiz com o que foi o
filme, infelizmente.
Porém, a segunda cena pós-créditos, é uma vertiginosa, todo mundo precisa assistir,
porque é demais.
É uma cena importantíssima, que está diretamente relacionada com o futuro desse universo cinematográfico
da Marvel.
Então, depois que o filme acabar e os créditos começarem a subir, não vai embora, espera
essa primeira cena pós-créditos, que é bonitinha mas ordinária, e lá depois do
último crédito vem essa outra cena que você não vai se arrepender de ter esperado para
ver.
Eu gostaria de pedir encarecidamente que quem já viu o filme não coloque spoilers nos
comentários desse vídeo, e guarde esses comentários para o vídeo com spoilers, que
eu vou liberar amanhã ou sexta-feira.
Mais provável sexta-feira porque tem muita coisa pra falar.
Vou pedir essa gentileza pra você, pra que todo mundo possa receber no cinema todos os
socos no estômago que esse filme tem pra oferecer.
E um conselho pra quem ainda vai comprar o seu ingresso pra assistir Homem-Aranha No
Way Home.
Procure o cinema com a maior tela que você conseguir encontrar.
Não esquece de se inscrever aqui no canal e deixar aquele like bacanérrimo também.
E eu vejo você muito em breve, cara!
Até lá, fica com Deus, permaneça bem, permaneça seguro!
Uma vez mais, muito obrigado e até a próxima!
Créditos: Gustavo Cunha

Veja o vídeo da Matéria:

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on reddit
Reddit
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
radio8Bits

radio8Bits

Deixe um Comentário

Sobre mim

Desde sua inauguração, em 2017, nós da Rádio 8Bits nos destacamos pela proposta de ser uma rádio jovem com uma identidade ousada, baseada na cultura pop e suas vertentes, juntamente com a interatividade total com os nossos ouvintes através do nosso time de locutores e parceiros.

Postagens recentes

Siga-nos

Faça sua Doação

Assine a nossa newsletter

Rádio 8Bits. A Rádio da Cultura Pop!

Carrinho de compras